segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Ouro Preto + Encontro com Wandel e Luiz - GEMÜTLICKHEIT!



GEMÜTLICKHEIT!
Encontro com Wardel e Luiz em Ouro Preto,
membros da comunidade no orkut - EU AMO OURO PRETO.

Combinamos o encontro na Praça Tiradentes, tomamos um café no Centro Cultural e Informações Turísticas - na Livraria Cultural e após fizemos um happy hour no Restaurante do Grande Hotel Ouro Preto.
Bons papos e muita alegria.
GEMÜTLICKHEIT! ... Assim dizem os que falam a língua de Johann Wolfgang von Goethe.



Olá Marcinha:
...
Fui ao Museu do Oratório e temos que agradecer a Angela Gutierrez que proporciona a milhares de pessoas apreciarem e se maravilharem diante destas obras de arte.
Muito bem elaborado o roteiro desde o subsolo, térreo e primeiro andar na antiga casa do Noviciado do Carmo.

Estas cenas, nos oratórios refletem o imáginário e a cultura do povo brasileiro e especial do mineiro e dos primeiros colonizadores do Brasil.
A beleza estética é indescritível.

Esta foi uma época da religiosidade trinfante de nossos antepassados referente a
CONTRA-REFORMA na história ocidental do europeus e seus descendentes.
Estes objetos de fé são valiosos e ficamos estupefatos com as riquezas de todos detalhes
artísticos e artesanais.

Ouro Preto e o povo de Minas Gerais são merecedores deste maravilhoso museu.


Wardel e Luiz
Lalaércio
Gente, que sensibilidade a sua. só temos que agradecer.
Daquí a pouco vamos nos conhecer,
já estamos indo para a Praça.
Saudações ouropretanas,
Luiz e Wardel

...
Wardel e Luiz:
Muito obrigado por tudo, vcs são apaixonantes.
Durmam com Deus.
O que precisar, estou a disposição.
saudações ouropretanas,
Luiz

domingo, 30 de agosto de 2009

Ouro Preto - MG - Sua História - Turismo e Economia




Ouro Preto é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, famoso por sua magnífica arquitetura colonial. Localiza-se a uma latitude 20º23'08" sul e a uma longitude 43º30'29" oeste, estando a uma altitude de 1179 metros. Sua população estimada em 2004 era de 68 208 habitantes.

Foi a primeira cidade brasileira a ser declarada pela UNESCO, Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, no ano de 1980.

No município há 13 distritos: Amarantina, Antônio Pereira, Cachoeira do Campo, Engenheiro Correia, Glaura, Lavras Novas, Miguel Burnier, Santa Rita, Santo Antônio do Leite, Santo Antônio do Salto, São Bartolomeu e Rodrigo Silva, além da sede.

História
O ouro mineiro começou a chegar a Portugal ainda no final do século XVII. Em 1697 o embaixador francês Rouillé menciona chegada de ouro "peruano", cita 115,2 kg. Godinho, sem citar a fonte, menciona para 1699 725 quilos e em 1701 a chegada de 1.785 quilos.

A origem de Vila Rica está no arraial do Padre Faria, fundado pelo bandeirante Antônio Dias de Oliveira, pelo padre João de Faria Fialho e pelo coronel Tomás Lopes de Camargo e um irmão deste, por volta de 1698.

A vila foi fundada em 1711 pela junção desses vários arraiais, tornando-se sede de concelho, com a designação de Vila Rica. Em 1720 foi escolhida para capital da nova capitania de Minas Gerais. Em 1823, após a Independência do Brasil, Vila Rica recebeu o título de Imperial Cidade, conferido por D. Pedro I do Brasil, tornando-se oficialmente capital da então província das Minas Gerais e passando a ser designada como Imperial Cidade de Ouro Preto. Em 1839 foi criada a Escola de Farmácia e em 1876 a Escola de Minas. Foi a capital da província e mais tarde do estado até 1897.

Possui uma área de 1.245,114 km².

A cidade inspirou a criação de várias outras cidades, se não com o mesmo nome como Ouro Preto no Maranhão, no Mato Grosso, no Rio Grande do Norte e Ouro Preto do Oeste em Rondônia, os bairros Ouro Preto em Belo Horizonte/MG, em Maceió/AL, Olinda/PE e outras em locais de menor expressão, curiosamente, foi criado no Estado de Indiana, nos Estados Unidos, uma cidade que surgiu após o fundador ler uma reportagem que falava justamente sobre a cidade de Ouro Preto, criando lá a City of Brazil, no ano de 1844.

Período colonial

Origem
Enquanto as descobertas de ouro nos córregos continuavam no sertão, elevando nomes como o de Antônio Dias de Oliveira, Bartolomeu Bueno de Siqueira, Carlos Pedroso da Silveira e entre outros, apareciam bandeiras e gente vinda já da Bahia e Pernambuco, «acendendo ambições de além-mar, seguindo na trilha das outras e outras porém com rumo certo, procurando ora o rio das Velhas (cuja tradição ficou entre os Paulistas, que haviam acompanhado a bandeira de Fernão Dias Pais e de D. Rodrigo de Castelo-Branco), ora o Tripuí, onde já se havia encontrado o afamado Ouro Preto, balizado pelo cabeço enevoado do pico do Itacolomi, que começavam a avistar logo transposto o Itatiaia. Orientados pelos picos que eriçam as serras de Ouro Branco, Itatiaia, Ouro Preto, Itacolomi, Cachoeira, os habitantes seguiam juntos ou separados, Casa Branca , Ribeirão do Carmo, etc.

Diz Antonil que da mina da serra do Itatiaia, a saber do ouro branco, que assim chamavam ao ouro ainda não bem formado, distante do ribeiro do Ouro Preto oito dias de caminho moderado até o jantar, não faziam caso os Pauistas caso por terem as outras de ouro formado e muito melhor rendimento».

Segundo José Rebelo Perdigão, secretário do Governador Artur de Sá e Menezes, em 1695 e 1696 teria sido descoberto nesta montanha um ribeiro aurifero ao qual se deu mais tarde o nome de Gualacho do Sul, mas que os Paulistas desta bandeira de Miguel Garcia se recusaram a dividir a jazida com seu companheiros de Taubaté os quais, se tendo então separado, tomaram marcha para o interior e descobriram o ribeiro de Ouro Preto. «Dos córregos e morros de Ouro Preto, ainda hoje chamados o Passadez, Bom Sucesso, Ouro Fino, Ouro Bueno, foram descobridores Antônio Dias, de Taubaté, o Padre João de Faria Fialho, Tomás Lopes de Camargo, primo do descobridor do Itaverava Bartolomeu Bueno de Siqueira. As terras ali eram de «tal modo requestadas que por acudir muita gente, só pode tocar três braças em quadra a cada minerador», segundo o historiador Varnhagen. Nomes como Brumado, Sumidouro, rio Pardo, Guarapiranga, rio das Mortes, Aiuruoca apareceram na geografia mineira, trazidos por Camargos e Pires, Pedrosos, Alvarengas, Godois, Cabrais, Cardosos, Lemes, Pais, Guerras, Toledos, Furtados, como no canto VI de «Vila Rica», o poema.


A atividade mineradora

Ruas de hoje em Ouro Preto, foto por Silvio Tanaka.«A Coroa concedia aos responsáveis de descobertas uma mina de 80 varas sobre 40 e mais uma data de 60 x 30 sobre a mesma beta, ambas à escolha, entremeando entre uma e outra 120 varas para serem ocupadas por duas datas menores. O cálculo atual é igual a (80x40= 3.200 varas quadradas ou seja 3.872m2); ,60x30 = 1.800 braças quadradas ou seja 2.178m2 atuais.

Em águas correntes e nas quebradas dos montes, o quinhão do descobridor era de 60 varas de comprido por 12 de largo, metidas no meio da corrente ou da quebrada, sendo o de cada um dos aventureiros 1/3 menor; se o rio era grande, tocavam ao descobridor 80 varas e aos mais 60. Nas minas menores, em outeiros, campos ou às bordas de rios, era de 30 varas quadradas a data do descobridor e de 20 as outras; se a area não chegasse para todos os pretendentes, o Provedor devia dividir as datas proporcionalmente».

Não era distribuição fácil nem equitativa, pois às vezes eram explorados aluviões riquíssimos ao longo de um curso d'água estreito, e assim a riqueza mineral não era bem distribuída. Pelo Direito da época, o senhor do solo e do subsolo era o rei, mas não podia trabalhar a terra e a dava em quinhões a particulares para explorar mediante parte nos resultados, o que constituía a pensão enfitêutica devida ao senhorio. A porção era de 20% = o célebre quinto do ouro cuja história é a própria história de Minas, segundo seu historiador Diogo de Vasconcelos. Para a arrecadação, em cada distrito havia um Guarda-mor com escrivão, tesoureiro e oficiais. «Consideravam-se novas só as lavras distantes meia légua de alguma lavra já conhecida, de modo que os ambiciosos afastavam-se delas para se enquadrarem nas regalias, multiplicando-se os manifestos e seus exploradores, sem garantia de vida ou propriedade, tendo que se entrincheirar no próprio local de trabalho, levantando abrigos ou aproveitando as bocas das minas, concorrendo para a disseminação d povoados». Vieram artífices de profissões diversas, no arraial de Ouro Preto e no arraial de Antônio Dias, no Caquende, Bom Sucesso, Passa-Dez, na Serra e Taquaral, construindo capelas, casas de morada e fabricando ferramentas.Em toda parte foi revirada e pesquisada a areia dos ribeiros e a terra das montanhas, levantando-se barracas perto de terrenos auríferos, arraiais de paulistas começando a povoar o interior da terra que hoje é Minas Gerais. Organizaram-se depois os povoados em torno de capelas provisórias, até a «grande fome».


A fome de 1700 a 1703
Falava-se de fome desde meados de 1700, quando a escassez alarmante de víveres começou a se estender aos povoados do Ribeirão do Carmo. O ouro enchia as bruacas e como ninguém admitia a idéia de ali permanecer depois de rico, nada se plantava; e do Rio das Velhas vinham tropas de negociantes para vender carne e víveres. No Ouro Preto e no Carmo a paisagem era rude, solo pedregoso, aspecto ameaçador, selvagem, abrindo-se em vales estreitos e profundos, nada alentador para a agricultura. Circulava ouro em pó como moeda e havia pouco a comprar. E, além do mais, uma epidemia de bexigas correu pelos arraiais, «onde se defendia uma quarta de milho ou saco de mandioca às armas». Dois forasteiros se mataram a faca ppor uma cuia d farinha. Cheias dos rios em duas terriveis estações de chuvas, 1699 e 1701, agravaram a situação. Começou o êxodo de populações para os arraiais de Itaverava e Ouro Branco, caindo de inanição nos caminhos do Rodeio. Existiria até hoje o Campo das Caveiras: centenas, sucumbidos no esforço de subir a serra fugindo de Ouro Preto. Salteavam os vivos e saqueavam os mortos negros escravos e ciganos armados, os Pauistas reuniram seus burros e retornaram a São Paulo ou partiram para o Rio das Velhas (c° o Guarda-Mor Domingos da Silva Bueno, que começava a dar ordem às Minas) defendendo-se a tiro e espada. Os poucos no arraial de Ouro Preto se salvaram pela ambição de mercadores sertanejos, correndo ao famoso vale com cargas, conseguindo fabulosos lucros. Nos dois anos seguintes à ocupação em 1698 do rico ribeiro do Carmo, abateu-se sobre os pequenos povoados fome. Havia total falta de mantimentos, cobrava-se por um alqueire de milho vinte oitavas de ouro, 32 oitavas por um alqueire de farinha ou de feijão, uma galinha custava 12 oitavas, 1 cachorrinho ou gatinho 32, uma vara d fumo valia cinco oitavas e um prato pequeno de estanho, cheio de sal, oito. Diz o cronista: «por cuja causa e fome morreu muito gentio, tapanhunhos e carijós , por comerem bichos de taquara, que, para os comer, é necessário estar um tacho no fogo quente e os vão botando; os vivos boiam com a quentura, que são os bons, e se come algum morto é veneno refinado...»


A corrida do ouro
Diz Antonil em 1710: « A sede insaciável do ouro estimulou a tantos a deixarem suas terras e a meterem-se por caminhos tão ásperos como os das Minas, que dificultosamente se poderá dar conta do número das pessoas que atualmente lá estão. Cada ano vem nas frotas quantidades de portugueses e estrangeiros para passarem às Minas. Das cidades, vilas, recôncavos e sertões do Brasil vão brancos, pardos e pretos e muitos índios de que os Paulistas se servem.» E, adiante: «As constantes invasões de portugueses do litoral vencerão os Paulistas que haviam descoberto as lavagens de ouro - florestas batidas, montanhas revolvidas, rios desviados de cursos pois a sede de ouro enlouquecia. Desciam das serras que isolavam Minas homens levando famílias, escravos, instrumentos de mineração, atravessando florestas e vadeando rios caudalosos depois de lutar às vezes contra índios expulsos do litoral. Frades fugiam dos conventos, proprietários abandonavam plantações, procurando como loucos as terras do centro - visão fugitiva de riquezas acumuladas sem luta nem trabalho…


Período imperial

Ouro Preto em 1870.Em 1823, após a Independência do Brasil, Vila Rica recebeu o título de Imperial Cidade, conferido por D. Pedro I do Brasil, tornando-se oficialmente capital da então província das Minas Gerais e passando a ser designada como Imperial Cidade de Ouro Preto. Em 1839 foi fundada a Escola de Farmácia, tida como a primeira escola de farmácia da América do Sul.

Em 12 de outubro de 1876, a pedido de D. Pedro II do Brasil, Claude Henri Gorceix fundou a Escola de Minas em Ouro Preto. Esta foi a primeira escola de estudos mineralógicos, geológicos e metalúrgicos do Brasil, que hoje é uma das principais instituições de engenharia do País. Assim era descrita a cidade de Ouro Preto pelo ilustre fundador da Escola de Minas, em relatório enviado ao Imperador Dom Pedro II: "Em muito pequena extensão de terreno pode-se acompanhar a série quase completa das rochas metamórficas que constituem grande parte do território brasileiro e todos os arredores da cidade se prestam a excursões mineralógicas proveitosas e interessantes."(Claude Henri Gorceix)


Economia
Apesar de atualmente a economia de Ouro Preto depender muito do turismo, há também importantes indústrias metalurgia metalúrgicas e de mineração no município, tais como a Alcan - Alumínio do Brasil (a mais importante fábrica de alumínio do país), a Companhia Vale do Rio Doce, e outras. As principais atividades econômicas são o turismo, a indústria de transformação e as reservas minerais do seu subsolo, tais como ferro, bauxita, manganês, talco e mármore.

Os minerais de importância são o ouro, a hematita, a dolomita, turmalina, pirita, muscovita, topázio e topázio imperial, esta última apenas encontrada em Ouro Preto.

Uma outra importante fonte de recursos para o município são os estudantes da UFOP, oriundos principalmente da região sudeste do Brasil.


Turismo
Apesar de ter a a maior parte do intenso fluxo turístico focado na arquitetura e importância histórica, o município possui um rico e variado ecossistema em seu entorno, com cachoeiras, trilhas seculares e uma enorme área de mata nativa, que teve a felicidade de ser protegida com a criação de Parques Estaduais. O mais recente destes situa-se próximo ao distrito de São Bartolomeu (Ouro Preto)|São Bartolomeu.

Ouro Preto também se destaca pela atividade cultural. Todos os anos, sedia o Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana - Fórum das Artes
Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ouro_Preto

O Grande Hotel Ouro Preto - MG - Projeto de Niemayer






O Grande Hotel Ouro Preto


Com linhas arrojadas, o arquiteto Oscar Niemayer projetou ao início dos anos 40 o Grande Hotel de Ouro Preto às margens do Rio Tripuí, onde foi encontrada a primeira pepita de ouro preto. Cinqüenta anos depois, na primavera, Niemayer deu início a um novo projeto de adaptação e ampliação do hotel.


O Grande Hotel

O Grande Hotel de Ouro Preto ao hospedá-lo tornará possível mais de 300 anos de história e cultura de Minas Gerais e do Brasil.



Localização privilegiada

Com localização privilegiada ao lado dos principais monumentos históricos e serviços de primeira linha, o Grande Hotel, proporciona pleno conforto aos turistas do mundo inteiro.


Vista da varanda do Hotel

With strong lines, the architect Oscar Niemeyer projected the Grande Hotel de Ouro Preto in the early 40’s on the edge of Tripuí River, where the first gold nugget had been found. Fifty years later, in spring, Niemeyer started a new project for remodeling and expanding the hotel.

With a special location, near the main historical monuments and first class service, the Grande Hotel de Ouro Preto provides great comfort to tourists from all over the world.

Your stay at the Grande Hotel de Ouro Preto will give you 300 years of history and culture of Minas Gerais and Brazil.


Acomodações



Aconchegantes, todas as suítes e apartamentos apresentam conforto e espaço que só o Grande Hotel tem para oferecer.

Todas as unidades dispõe de TV, música ambiente, armário, frigobar , telefone com discagem direta e aquecimento central.

Nossas suítes, todas duplex, são dotadas de varandas panorâmicas que permitem a mais bela vista do barroco mineiro.

Cosy, all suites and apartments have the comfort and space which only the Grande Hotel has to offer.

All our rooms have a color TV, music, closet, fridge, telephone and central heating system.

Our suites, all double decked, have balconies which lead to the most beautiful view of the baroque art from Minas Gerais.

Igrejas

Matriz Nossa Sra. do Pilar: A 2a. igreja mais rica do país;

Nossa Senhora do Carmo: Uma das mais belas. Seu interior é lindo. Anexo ao museu do oratório;

Nossa Senhora do Rosário: Seu telhado tem a forma de uma casco de navio;

Matriz Nossa Senha da Conceição: anexo ao museu do Aleijadinho;

Capela do Padre Faria: A 2a. mais antiga de Ouro Preto;

São Francisco de Assis: Ao lado da feira de pedra-sabão.



Museus

Museu da Inconfidência: Antiga casa da Câmara e Cadeia;

Museu de Ciência e Técnica: Coleção de minerais mais completos do mundo;

Museu do Aleijadinho: Conheça de perto a obra de Aleijadinho;

Museu de Arte Sacra: Coleção em prata (anexo à Igreja do Pilar);

Museu do Oratório: Único museu do gênero no mundo;

Teatro Municipal: Antiga casa da Ópera - Arquitetura original de 1770.

Acomodações



Aconchegantes, todas as suítes e apartamentos apresentam conforto e espaço que só o Grande Hotel tem para oferecer.

Todas as unidades dispõe de TV, música ambiente, armário, frigobar , telefone com discagem direta e aquecimento central.

Nossas suítes, todas duplex, são dotadas de varandas panorâmicas que permitem a mais bela vista do barroco mineiro.


Cosy, all suites and apartments have the comfort and space which only the Grande Hotel has to offer.

All our rooms have a color TV, music, closet, fridge, telephone and central heating system.

Our suites, all double decked, have balconies which lead to the most beautiful view of the baroque art from Minas Gerais.

Padres que foram VIGÁRIOS DA igreja de DOM BOSCO = SÃO JOÃO DEL REI


Padres que foram VIGÁRIOS DA igreja de DOM BOSCO = SÃO JOÃO DEL REI

...
FOTO:
BY Laércio Beckhauser

Padre Arthur Roscoe Daniel e Padre Jayme Teixiera Jr. - Salesianos de MG



Visitei hoje os padres salesianos em São João del Rei.
Padre Arthur Roscoe Daniel e Padre Jayme Teixiera Jr. - Salesianos de MG.

Desde o tempo do seminário , em Ascurra, SC, quando jovem, nos idos anos de 1959 e 1960 escutava falar dos salesianos de Minas Gerais e em especial do seminário de São João del Rei. O Pe. Décio Bona pode confirmar este fato.

Vi, hoje, no domingo, toda religiosidade deste povo mineiro.

A missa celebrada pelo padre Arthur, as 9:00 ESTAVA REPLETA DE FIÉIS.

Depois da missa tive a oportunidade com a minha esposa Mírian, tomar um café com o Pe. Arthur e visitar o orquidário do Padre Jayme.

Gostamos muitos da recepção e das explicações e ganhamos algumas mudas de plantas que iremos plantar lá na Chácara da Oma, em Joinville - SC.

Após, visitamos Barbacena, Congonhas e estamos no momento em Ouro Preto no Grande Hotel Ouro Preto que foi projetado pelo Oscar Niemaier.

Vamos visitar estas cidades históricas e depois iremos ao CONESB em Belo Horizonte.

Fotografamos e filmamos as orquídeas e outros locais dos salesianos e dos padres
Jayme e Arthur. Em breve será colocado no youtube, o filme com estas imagens.

sábado, 29 de agosto de 2009

Salesianos em São João del Rei - Universidade




Campus Dom Bosco

O Campus Dom Bosco está situado no bairro das fábricas e sua história está atrelada a do Colégio São João, cujas atividades iniciais se deram em 1940 pela Congregação Salesiana. Com a ajuda da população sanjoanense, representada pelo Prefeito – Sr. José do Nascimento Teixeira, foi construído o prédio, onde funcionou a partir 1943, como internato de seminaristas. Em 1948, instalou-se também o Instituto de Filosofia e Pedagogia. Depois de 30 anos de existência, unicamente, como internato para seminaristas, abriu suas salas de aulas para alunos externos e finalmente, encerrado o internato, passou a funcionar apenas como externato, o que durou até o ano de 1986.

Em 1953, a Inspetoria Salesiana Dom Bosco, criou, anexa ao Colégio São João, uma Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras com o objetivo de habilitar profissionalmente, de acordo com as exigências oficiais, os religiosos da Congregação mantenedora. A Faculdade Dom Bosco foi reconhecida pelo Decreto 34392, de 27 de outubro de 1953, do Presidente Vargas e foi instalada em março de 1954. Dois anos após sua instalação, abriu-se também à educação externa e ampliou seus cursos, acrescentando Psicologia e Pedagogia e em 1986 foi incorporada ao patrimônio da UFSJ.

A partir de então, várias obras de reformas e adaptações foram realizadas no prédio principal e outros prédios foram e estão sendo construídos para atender as necessidades institucionais, tais como: prédio do DCNAT, onde funcionam os cursos de graduação em Biologia, Química e Física e o de mestrado de Física, Química e Neurociências com as devidas coordenadorias e o departamento de ciências naturais; o prédio do DEPEB onde estão alocadas as salas deste departamento e os laboratórios de neurociências; o laboratório de psicologia aplicada e o de química; o biotério central; o pavilhão de salas de aula; o prédio de salas para o Departamento das Psicologias; o prédio da nova biblioteca em fase final de execução e o prédio anexo ao DCNAT que abrigará salas de aula e laboratórios dos cursos de Biologia, Física e Química que está em fase inicial.

Neste Campus está instalada a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, bem como os cursos de graduação em Ciências Biológicas, Filosofia, Física, História, Letras, Pedagogia, Psicologia e Química e os cursos de Pós-Graduação (Mestrado) em Física, Química e Neurociências e Letras.


Situação do espaço físico do CDB
ÁREA CDB
Total 89.000
Construída 23.868
Acadêmica 10.970
Administrativa 321
Esportiva 3.908
Outras 8.669




Distribuição da Área física CDB
Espaços físicos Quantidade Área (m2 )
Salas de aula 45 2.407,27
Salas de Coordenadorias/Secretarias 12 163,66
Salas de Departamentos/Secretarias 14 190,26
Salas de professores 95 2.526,87
Auditórios 01 412,92
Anfiteatros 02 358,32
Bibliotecas 01 1.649,33
Laboratórios 40 1.992,95
Laboratórios de informática 03 239,12
Salas de vídeo 01 104,98
Salas administrativas 17 320,92
Biotério 01 105,53
Brinquedoteca 01 56,84
Clínica Psicologia 01 269,63
Lutheria 01 123,79
Área esportiva: campo e quadras 01 3.908,24

Cidades Históricas de MINAS GERAIS - Brasil




Cidades Históricas MG -

Introdução

As cidades históricas de Minas Gerais surgiram durante o período de 1700 à 1800, a época dourada do Brasil. Em apenas um século, 1200 toneladas de ouro e três milhões de quilates de diamantes foram extraídas na região das minas.

Os colonos portugueses, restritos ao litoral brasileiro, não encontram riquezas em quantidades como acontecia nas colônias espanholas. A esperança era se afastar do litoral, penetrando no interior do país. A primeira expedição a se adentrar com sucesso pelo interior desconhecido, na busca por ouro e pedras preciosas, foi liderada por Fernão Dias Paes leme, no final do século XVII. Consta que Fernão Dias morreu acreditando ter encontrado esmeraldas, mas na verdade eram turmalinas verdes. Fato é que ele abriu uma nova rota para o interior e por volta de 1700 alguns membros de sua antiga expedição encontraram uma estranha pedra preta nas proximidades de Vila Rica. Mandaram amostras a Portugal, de onde voltou a notícia tratar-se de ouro, escuro devido a grande concentração de minério de ferro no solo - Ouro Preto, o nome atual da antiga Vila Rica.

A descoberta deu início ao Ciclo do Ouro do Brasil. Mais e mais pessoas migraram do litoral para a região das minas e aventureiros europeus, principalmente portugueses, atravessaram o oceano atraídos pelo precioso metal. Como eram poucos os que trabalhavam com as próprias mãos nas minas, escravos foram trazidos de Angola e dos canaviais baianos.

Suas principais cidades são Belo Horizonte, São João Del Rey, Mariana, Congonhas do Campo, Diamantina, Ouro Preto, Sabará, e Tiradentes. Na primeira metade do século XVIII, Minas Gerais tornou-se o centro econômico da colônia, com rápido povoamento; sendo o ouro
que lá havia buscado por bandeirantes e pelos colonizadores portugueses. Mais da metade de seu território tem altitudes acima dos 600m, os climas predominantes em Minas são o Tropical e o Tropical de Altitude. As regiões mais altas e o sul do estado apresentam as temperaturas mais baixas, chegando a atingir marcações próximas de 0°C. Nas regiões sul, sudeste, leste e central do estado são registrados os maiores índices pluviométricos. Em outro extremo, nas porções norte e nordeste, as chuvas escassas e as altas temperaturas tornam essas regiões muito susceptíveis à seca.

O estado também é muito famoso pela sua culinária, simples e deliciosa.
O artesanato é muito valorizado na região, sendo que é possível encontrar peças feitas de cerâmica, madeira e pedra-sabão.O turismo também na região surpreende pela diversidade de opções que vão desde a roteiros eco-culturais até os roteiros turisticos históricos. Minas Gerais é repleta de locais apraziveis e de clima agradavel, onde é possível relaxar e esquecer do estresse; conjungando tudo isso a visita a lugares históricos que nos levam a uma viagem ao passado muito interessante. Minas destaca-se também nas obras de arte, é possível encontrar em Congonhas do Campo obras do famoso escultor brasileiro ‘Aleijadinho’,a predominancia do estilo barroco é maciça na arquitectura e nas obras de arte. Destacamos também a música barroca, tão comum no século XVII e XVII, tocada essencialmente por flauta e cravo.Minas encanta, vale a visita, serão imagens para nunca mais esquecer.

Principais cidades:
- BELO HORIZONTE
- Ouro Preto
- Diamantina
- Sabará
- São João Del Rey
- TIRADENTES
- CONGONHAS
- Mariana

Pe. Décio Bona - BH = P. Décio Bona - QUEIJO MINEIRO E MUITO ENTUSIASMO EXALUNAL E DOMBOSQUEANO...


P. Décio Bona para
brasilino.brasa, Ariel, andre.nedel, BENEDITO, BRASILINO, mim, gingatotalofice, CLAUDIO




Cara Renata,

Só tenho 8 endereços via correio convencional:

Décio, Osvaldo, Aires Oléas, Cláudio Pedroso. Benedito Tironi, Luana e Tesser e Adilto-ISAS.

Vê se consegue mais algum...

Amigos, preciso de todos:

NOME, E-MAIL, TELEFONES, ENDEREÇO CONVENCIONAL. Só TENHO DE ALGUNS.

Abraços
P. Décio,

agradecido...

E VAMOS LÁ...
QUEIJO MINEIRO E MUITO ENTUSIASMO EXALUNAL E DOMBOSQUEANO...

1. Vilmar Paterno -Blumenau
2. Cláudio Pedroso - Blumenau
3. Luana Moser - Asccurra
4. Cristian Tesser - Ascurra
5. Benedito Tironi e – Jaraguá - SC
6. Esposa – Jaraguá - SC
7. Laércio Beckhauser - Joinville
8. Esposa do Laércio: _ Joinville
9. Brasilino Catarino - Joinville
10. Aires Antônio Oléas – Porto Alegre
11. Osvaldo Dalpiaz – Porto Alegre
13. Luiz André Nedel _ Porto Alegre
14. Fausa Nedel – Porto Alegre
15. P. Décio Bona – Porto Ategre
16. Adilto José dos Santos -Curitiba
17. Ariel José Bona - Ascurra

Dito, Não tenho localizado o nome de sua esposa, em nossa lista.

Agradeço se enviar.
Abraços.

P. Décio Bona

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Congressistas do VII CONESB - Belo Horizonte - MG - e-mail



Prezados Congressistas do VII CONESB,

Peço-lhes que se dediquem um pouco a esta leitura, dada a sua importante necessidade.

Creio que todos estejam tão ansiosos e atribulados quanto nós para o esperado encontro.

De minha parte, tentando não aborrecê-los demais com mensagens, ao assumir a logística me propus que através das informações passadas por vocês para mim, viabilizassem o melhor atendimento possível.

Enquanto programador, tive alguns problemas com nossos servidores e, muita vez, varios de vocês não conseguiram acessar o nosso canal virtual. Felizmente parece que agora, já próximos do dia 4, as intermitencias dos servidores pararam de ocorrer com tanta frequencia.

Então, primeiramente agradeço a todos que com sua paciência estão colaborando com o nosso trabalho aqui e solicitar-lhes que cada um acesse a sua ficha de inscrição através dos links especiais (e diretos) que lhes enviei, verifiquem se todos os dados estão corretos, preencham os que faltem. Aos que perderam a informação de acesso direto, basta solicitarem-me através de REPLAY a esta mensagem.

Chamo a atenção aos que chegarão a BHZ por via aérea, no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, mais conhecido como "de CONFINS", que pelas informações coletadas até agora, haverá um bom número de coincidências e proximidades nos horarios de aterrissagem, o que passa a viabilizar, fortemente, a contratação de até um MICROBUS, a um custo muito razoável, no aeroporto, proporcionando-lhes conforto e comodidade para um deslocamento direto até a CASA SÃO JOSÉ, sem os percalços de traslados do Terminal Rodoviário no centro da nossa cidade para táxis em direção ao local do evento.

Para tanto, as informações PRECISAS quanto às datas e horarios de voos, nomes das CIAs aéreas, número do voo, conexões, etc., IDA/VOLTA poderão facilitar em muito o trabalho receptivo. Alertando-os, principalmente, para a volta, os embarques, os check ins, em primeira chamada estão ocorrendo, quase que rigorosamente, uma hora antes. Ocorrendo decolagens até antes do previsto quando as aeronaves estão completadas.

Aos que chegarão/sairão pela RODOVIARIA DE BHZ, também espero a informação precisa dos dias e horários e VIAÇÃO, pois também poderá ser possível indicar-lhes o melhor meio de locomoverem-se para a Casa São José.

Na impossibilidade da contratação dos fretamentos, indico-lhes, em CONFINS, a utilizarem:

os táxis da COOPERTRAMO, pois o preço da corrida é o mesmo das outras cooperativas de táxis comuns, R$ 85,00 - por táxi - de 1 à 4 passageiros, conforme a bagagem. A COOPERTRAMO tem DOBLOS com a capacidade de transportar 4 pessoas com bagagem
o EXPRESSO UNIR é a linha executiva que faz o trecho aeroporto-BHZ, saindo em intervalos de 30 minutos, por R$ 16.90, a passagem. Do Terminal, na Av. Álvares Cabral, região central, a melhor opção são os táxis comuns. A corrida, se em Bandeira 1, terá um valor aproximado de R$ 18.00, se Bandeira 2, aproximado de R$ 21.00.
Da RODOVIARIA DE BHZ até a Casa, a corrida de táxi em Bandeira 1 poderá ser de aproximadamente R$ 17.00, se Bandeira 2, aproximadamente, R$ 20.00.

PARA OS TAXISTAS É IMPORTANTE DIZER QUE O ENDEREÇO DA CASA FICA NA REGIÃO DO BAIRRO DOM CABRAL, ATRÁS DA PUC (universidade católica) e, segundo o Google Maps, o melhor caminho é indo pela VIA EXPRESSA, e não pela AV. AMAZONAS.

Aproveitando, vai aí uma boa dica para quem puder esticar a estadia em BHZ por mais um dia, conhecer algumas Cidades Históricas no dia 8 de Setembro. A Ouro Preto Turismo está com pacotes bem vantajosos.


Agradeço a todos a atenção, o carinho e a compreensão, especialmente à N.S.Auxiliadora a quem tenho dedicado a honra de ter sido convocado para esta tarefa.

Grande abraço,
Ivophrancis
55 31 3309-6923 / 9169-6923
ivophrancis@gmail.com - contato@taxirevista.com.br

VII CONESB = Ivophrancis + Belo Horizonte - MG

Prezados Congressistas do VII CONESB,

Peço-lhes que se dediquem um pouco a esta leitura, dada a sua importante necessidade.

Creio que todos estejam tão ansiosos e atribulados quanto nós para o esperado encontro.

De minha parte, tentando não aborrecê-los demais com mensagens, ao assumir a logística me propus que através das informações passadas por vocês para mim, viabilizassem o melhor atendimento possível.

Enquanto programador, tive alguns problemas com nossos servidores e, muita vez, varios de vocês não conseguiram acessar o nosso canal virtual. Felizmente parece que agora, já próximos do dia 4, as intermitencias dos servidores pararam de ocorrer com tanta frequencia.

Então, primeiramente agradeço a todos que com sua paciência estão colaborando com o nosso trabalho aqui e solicitar-lhes que cada um acesse a sua ficha de inscrição através dos links especiais (e diretos) que lhes enviei, verifiquem se todos os dados estão corretos, preencham os que faltem. Aos que perderam a informação de acesso direto, basta solicitarem-me através de REPLAY a esta mensagem.

Chamo a atenção aos que chegarão a BHZ por via aérea, no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, mais conhecido como "de CONFINS", que pelas informações coletadas até agora, haverá um bom número de coincidências e proximidades nos horarios de aterrissagem, o que passa a viabilizar, fortemente, a contratação de até um MICROBUS, a um custo muito razoável, no aeroporto, proporcionando-lhes conforto e comodidade para um deslocamento direto até a CASA SÃO JOSÉ, sem os percalços de traslados do Terminal Rodoviário no centro da nossa cidade para táxis em direção ao local do evento.

Para tanto, as informações PRECISAS quanto às datas e horarios de voos, nomes das CIAs aéreas, número do voo, conexões, etc., IDA/VOLTA poderão facilitar em muito o trabalho receptivo. Alertando-os, principalmente, para a volta, os embarques, os check ins, em primeira chamada estão ocorrendo, quase que rigorosamente, uma hora antes. Ocorrendo decolagens até antes do previsto quando as aeronaves estão completadas.

Aos que chegarão/sairão pela RODOVIARIA DE BHZ, também espero a informação precisa dos dias e horários e VIAÇÃO, pois também poderá ser possível indicar-lhes o melhor meio de locomoverem-se para a Casa São José.

Na impossibilidade da contratação dos fretamentos, indico-lhes, em CONFINS, a utilizarem:

os táxis da COOPERTRAMO, pois o preço da corrida é o mesmo das outras cooperativas de táxis comuns, R$ 85,00 - por táxi - de 1 à 4 passageiros, conforme a bagagem. A COOPERTRAMO tem DOBLOS com a capacidade de transportar 4 pessoas com bagagem
o EXPRESSO UNIR é a linha executiva que faz o trecho aeroporto-BHZ, saindo em intervalos de 30 minutos, por R$ 16.90, a passagem. Do Terminal, na Av. Álvares Cabral, região central, a melhor opção são os táxis comuns. A corrida, se em Bandeira 1, terá um valor aproximado de R$ 18.00, se Bandeira 2, aproximado de R$ 21.00.
Da RODOVIARIA DE BHZ até a Casa, a corrida de táxi em Bandeira 1 poderá ser de aproximadamente R$ 17.00, se Bandeira 2, aproximadamente, R$ 20.00.

PARA OS TAXISTAS É IMPORTANTE DIZER QUE O ENDEREÇO DA CASA FICA NA REGIÃO DO BAIRRO DOM CABRAL, ATRÁS DA PUC (universidade católica) e, segundo o Google Maps, o melhor caminho é indo pela VIA EXPRESSA, e não pela AV. AMAZONAS.

Aproveitando, vai aí uma boa dica para quem puder esticar a estadia em BHZ por mais um dia, conhecer algumas Cidades Históricas no dia 8 de Setembro. A Ouro Preto Turismo está com pacotes bem vantajosos.


Agradeço a todos a atenção, o carinho e a compreensão, especialmente à N.S.Auxiliadora a quem tenho dedicado a honra de ter sido convocado para esta tarefa.

Grande abraço,
Ivophrancis
55 31 3309-6923 / 9169-6923
ivophrancis@gmail.com - contato@taxirevista.com.br

terça-feira, 25 de agosto de 2009

2ª Reunião de Planejamento de ex-alunos salesianos de Dom Bosco – Jlle.




Convidamos Vsa. para participar da 2ª Reunião de Planejamento de ex-alunos salesianos de Dom Bosco – Jlle.


Local – Centro Educacional D. Bosco

Horário – 19h. 30m

Data – 09/09/2008 (Quarta-feira)


Pauta:


Projetos para 2009-2010.
- Social

- Cultural

- Beneficiente



Rifas,

Festa em Ascurra (20/09/09) – ônibus

Visita de D. Bosco


Informes Gerais



Sua presença fará a diferença. Venha participar. Não deixe suas IDÉIAS em casa.



Brasilino Catarino


P/ união em Jlle.

Para:
deCyberCafe - Email Público
paraacidiovegini@gmail.com,
bc.brasa@gmail.com,
sedeluz@yahoo.com.br,
davidtransito@yahoo.com.br,
veiculosvegini@terra.com.br,
elmoseg@yahoo.com.br,
delinadal@uol.com.br,
atibrasil.joi@terra.com.br,
ilarioranguetti@hotmail.com,
j.raulc@hotmail.com,
laerciobeckhauser@gmail.com,
vildedalmonico@bol.com.br,
luizfistarol@terra.com.br,
vjconsatti@yahoo.com.br,
vitalpoffo@ig.com.br,
inaborpereira@uol.com.br

data
25 de agosto de 2009
13:30
assunto

CONVITE

domingo, 23 de agosto de 2009

FAMÍLIAS CATARINENSES DE ORIGEM GERMÂNICA. by Toni JOCHEM



233 INSCRIÇÕES HOMOLOGADAS - Famílias Catarinenses de Origem Germânica

--------------------------------------------------------------------------------
Toni JOCHEM 23 de agosto de 2009 18:00
Para: Imigração Alemã
Cc: sc_gen@yahoogrupos.com.br
Prezados(as) Colaboradores(as),





Com os nossos cordiais cumprimentos vimos informar a RELAÇÃO DE INSCRIÇÕES HOMOLOGADAS do nosso projeto FAMÍLIAS CATARINENSES DE ORIGEM GERMÂNICA. Informamos, também, que temos ainda algumas inscrições pendentes devido ao fato de seus autores não terem enviados TODOS os dados solicitados. Esquecem, em sua maioria, de “citar a bibliografia (tanto quanto possível) que será utilizada na elaboração do artigo e mencionar as instituições (arquivos e instituições congêneres) onde pesquisará”.





Salientamos que temos 233 INSCRIÇÕES HOMOLOGADAS, cuja nominata segue abaixo, provenientes de 6 (seis) países: Brasil, Canadá, Alemanha, Argentina, Itália e Estados Unidos da América do Norte. Portanto, nosso projeto assumiu um caráter internacional. Do Brasil temos inscrições de 10 (dez) Estados além do Distrito Federal, a saber: Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Amazonas.



Informamos que o referido projeto integra os festejos alusivos aos 180 ANOS DE IMIGRAÇÃO ALEMÃ EM SANTA CATARINA, pretende ser um marco do evento e, certamente, por sua relevância e adesão, fará escola no Estado de Santa Catarina. A data para a entrega definitiva dos artigos e o modo de como proceder será enviada oportunamente.



Estamos encaminhando, novamente, em arquivo em anexo, as normas definitivas para a elaboração dos artigos para o projeto FAMÍLIAS CATARINENSES DE ORIGEM GERMÂNICA. Queremos deixar bem claro que não existe a intenção de complicar. Nosso projeto nasceu, cresceu... se apresenta como uma obra que será escrita por dezenas de mãos daí a necessidade de seguir as mesmas normas, que são as regras da ANBT, na elaboração dos artigos.



As situações mais corriqueiras estarão expostas nas “Normas para a elaboração dos artigos”, que vão em anexo, onde serão apresentados exemplos elucidativos de uma forma bem objetiva. Situações outras, não contempladas nas citadas “Normas” podem ser resolvidas caso a caso, bastando para isso encaminhar a dúvida para a coordenação do projeto. Os artigos que não se coadunarem com as normas adotadas, não serão aceitos e serão devolvidos ao autor para serem revisados e adequados à referidas normas.



Solicitamos a compreensão de todos nesse sentido! Precisamos publicar um livro com qualidade! Se até agora estávamos numa constante campanha para socializar o projeto e conseguir novas adesões, agora chegou a hora de nos preocuparmos com o conteúdo e a formatação dos artigos.



Sendo o que tínhamos para o momento renovamos votos de estima e distinta consideração.



Atenciosamente,



Toni JOCHEM

Coordenador do Projeto

Famílias Catarinenses de Origem Germânica




PROJETO: FAMÍLIAS CATARINENSES DE ORIGEM GERMÂNICA




INSCRIÇÕES HOMOLOGADAS






FAMÍLIA PESQUISADA
AUTOR
CIDADE

01
Adam
Fabiano Weil
Sherbrooke (Qc) – Canadá

02
Althoff
Ester de Souza Ferreira de Macedo
Florianópolis/SC

03
Andresen
Cordula Reuwsaat Paul
Florianópolis/SC

04
Angewitz
Henrique Luiz Fendrich -

Márcio Ricado Staffen
Pinhais/PR -Balneário Piçarras/SC

05
Arns
Elton Luiz Back
Forquilhinha/SC

06
Ax
Niraci Chiminelli
Florianópolis/SC

07
Baasch
Murilo Westphal
Florianópolis/SC

08
Back
Alexandre José Back
São José/SC

09
Bärsch
Elvira Horstmeyer
Curitiba/PR

10
Barth
Murilo Westphal
Florianópolis/SC

11
Bayer
Germano Bayer
Curitiba/PR

12
Becker
Gilberto Ceratti
Maumee, Ohio - EUA

13
Beckhaüser
Adauto Beckhaüser
Florianópolis/SC

14
Behncke
Therezinha Leony Wolff
Porto União/SC

15
Beiler
Aloysio Clemente Maria Infante de Jesus Breves Beiler
Rio de Janeior/RJ

16
Beims
Ingo Baims
Rio de Janeiro/RJ

17
Bencke
Leandro Dimitry Miranda
Timbó/SC

18
Beppler
Nilo Momm
São José/SC

19
Beyerl
Henrique Luiz Fendrich
Pinhais/PR

20
Bieberbach
Therezinha Leony Wolff
Porto União/SC

21
Bilk
Janir Brandt
Salete/SC

22
Blank
Ellen Crista da Silva
Florianópolis/SC

23
Blind
Mauro Douglas Blind
São José/SC

24
Boeing
Albio Boeing
Florianópolis/SC

25
Böger (Boger, Boeger, Böeger)
Aluízio Brand
São José/SC

26
Bollmann
Antonio Dias Mafra
São Bento do Sul/SC

27
Born
Ocimar Born e Ruth Assunção Garbi
Curitiba/PR

28
Brand (Brandt / Brandes)
Aluízio Brand
São José/SC

29
Brandenburger
Márcia Moellmann Pagani
Florianópolis/SC

30
Brandes
Ricardo Brandes
Blumenau/SC

31
Brandt
Noêmia Brandt Brall
Florianópolis/SC

32
Brandt
Janir Brandt
Salete/SC

33
Braun
Doracy Lourdes Braun Corrêa
Balneário Comboriu/SC

34
Brenneisen
Simone Foltran Mürner
Dresden, Alemanha

35
Breyer
Therezinha Leony Wolff
Porto União/SC

36
Brixi
Soraya Brixi Tony de Souza
Brasília/DF

37
Broering
Ester de Souza Ferreira de Macedo
Florianópolis/SC

38
Brusky
Sonia da Conceição von Brüsky Sales
São Paulo/SP

39
Budde
Leani Budde
Florianópolis/SC

40
Buerger
Elisabeth Christina Renger
Nova Lima/MG

41
Bunn
Clarmi Regis e Maria Ester Menegasso
Florianópolis/SC

42
Buss
Anselmo Buss
Florianópolis/SC

43
Colin
Roberto Colin
Berlim – Alemanha

44
Conrad
Marilene Siqueira Paulella
São Paulo/SP

45
Conradi
Nilo Momm
São José/SC

46
Deschamps
Genésio Deschamps e Alfredo Scottini
Blumenau/SC

47
Diener
Douglas Moeller Diener
Curitiba/PR

48
Dräger
Nilton Hamann
BRASILIA/DF

49
Eckert
Ivo Eckert
Pinhalzinho/SC

50
Eli
Nilo Momm
São José/SC

51
Engel
Vidal Horácio Engel
Florianópolis/SC

52
Erdmann
Elisabeth Christina Renger
Nova Lima/MG

53
Ewald
Oscar Ewald
Blumenau/SC

54
Exterkotter
Eugenia Exterkoetter Heidemann
Tubarão/SC

55
Faust
Aluízio Brand
São Jose/SC

56
Fendrich
Henrique Luiz Fendrich
Pinhais/PR

57
Forster
Murilo Westphal
Florianópolis/SC

58
Franzener
Nilo Momm
São José/SC

59
Freiberger
Leonor Kuhn
Puerto Rico

Misiones

Argentina

60
Freygang
Sueli Freygang
Blumenau/SC

61
Friese
Airton Mathias e Werner Friese
Jaraguá do Sul/SC e Blumenau/SC

62
Fritzen
Nilo Momm
São José/SC

63
Froehner
Juliano Froehner
São Paulo/SP

64
Gintner
Luiz José Gintner
Rio de Janeiro/RJ

65
Goelzer
Gilberto Ceratti
Maumee, Ohio, United States

66
Granemann
Maria Aparecida Granemann José
Joinville/SC

67
Grathwohl Krebs
Janir Brandt
Salete/SC

68
Guesser (Gesser)
Wilson Luiz Guesser
Joinville/SC

69
Günther/Guenther
Bethania Guenther
Blumenau/SC

70
Haag
Fabiano Carcuchinski Haag
Florianópolis/SC

71
Hackbarth
Zilda Hatschbach
Florianópolis/SC

72
Haendchen
Sabrina Helena Planca
Gaspar/SC

73
Hahn
Valdemar Hahn Junior
Araranguá/SC

74
Hames
Luiz Fermino Hames Júnior
São José/SC

75
Hamester
Solange Maria Hamester Johann
Santa Maria do Herval/RS

76
Hang
Vania Hang Schmitz
Rio do Sul/SC

77
Hatschbach
Zilda Hatschbach
Florianópolis/SC

78
Hawerroth
Edy Álvares Cabral de Barros
Florianópolis/SC

79
Heeren
Marcelo Andreas Meyer
Freising, Alemanha

80
Heidemann
Francisco Gabriel Heidemann,

Benjamim Heidemann e

Gustavo Zatt Heidemann
Florianópolis/SC

Tijucas/SC

81
Heinzen
Mafalda Pereira Boeing
Florianópolis/SC

82
Henkel (Henckel)
Rudnei Hinkel
Criciúma/SC

83
Hillesheim
Glacy Weber Ruiz Cavallaro
Guarulhos/SP

84
Hinkel (Hinckel)
Rudnei Hinkel
Criciúma/SC

85
Hoepcke
Annita Hoepcke da Silva
Florianópolis/SC

86
Hoeper
Lucas Hoepers
São José/SC

87
Hoepfner
Gastão Hoepfner
Joinville/SC

88
Holderegger
Alberto Holderegger
Joinville/SC

89
Horst
Luiz Henrique Wissel
Águas Mornas/SC

90
Hruschka
Cristian Luis Hruschka
Blumenau/SC

91
Huber
Valburga Huber
Rio de Janeiro/RJ

92
Hümmelgen
Cristian Luis Hruschka
Blumenau/SC

93
Huscher
Ingo Baims
Rio de Janeiro/RJ

94
Imhof
Renate Imhof Benvenutti
Florianópolis/SC

95
Jochem
Toni Jochem
Palhoça/SC

96
Jochem
Sidnei Kohler
Brusque/SC

97
Kahl
José Carlos Kahl
Florianópolis/SC

98
Kaiser/Kayser/Kaizer
Julião Kaiser
Vitória/ES

99
Kemper
Nilton Kemper
Joinville/SC

100
Kestering
Ivo Kestering
Campo Alegre/SC

101
Kilian
Bruno Kilian Kadletz
Palhoça/SC

102
Kirchner
Angela Regina Kirchner
Florianópolis/SC

103
Klemann
Edson Dimas Klemann


104
Klock
Luciana Costa Mência
Florianópolis/SC

105
Kniess
Janir Brandt
Salete/SC

106
Kobs
Soeli Aparecida Tuleski
Curitiba/PR

107
Kock
Janir Brandt
Salete/SC

108
Koerich
Ester de Souza Ferreira de Macedo
Florianópolis/SC

109
Kohler
Zilda Hatschbach
Florianópolis/SC

110
Kohler
Vandrigo Kohler
Guabiruba/SC

111
Köhler/Koehler
Gerson Irandir Köhler
Curitiba/PR

112
Koller
Erno Oscar Koller
Dourados/MS

113
Konder
José Roberto Severino
Itajaí/SC

114
Kons (Kunz/Konz)
Kelvin Borges Konz
Florianópolis/SC

115
Korndörfer
Fernando Júlio Korndorfer Neto
Curitiba/PR

116
Koser
Luciana Costa Mência
Florianópolis/SC

117
Kreibich
Norma Maria do Valle
Mafra/SC

118
Kretzer
Mariângela Kretzer Martins
Florianópolis/SC

119
Kubin
Edeli Kubin Sarda
Florianópolis/SC

120
Kühl
Murilo Westphal
Florianópolis/SC

121
Kuhnen
Celita Irene Campos Angeloni
Florianópolis/SC

122
Kuhnen - Ramo de Francisco Henrique Kuhnen
Remberto Francisco Kuhnen e Raul Francisco Kuhnen
Curitiba/PR e Curitiba/PR

123
Labes
Renato José La Porta Pimazzoni Filho
São Paulo/SP

124
Locks
Elisabete Locks e Luciano D’Ambrosio
Colico (LC) – Itália

125
Lückmann
Nelson Lückmann
São José/SC

126
Ludwig
Vanderlei Ludwig
Tabatinga/AM

127
Mandel
Murilo Westphal Clarkson Sell
Florianópolis/SC Palhoça/SC

128
Matthias
Airton Mathias
Jaraguá do Sul/SC

129
Mees
Janir Brandt
Salete/SC

130
Meisen
Valdemar Meisen
Blumenau/SC

131
Meisinger
Romulo Cézar Pizzolatti
Criciúma/SC

132
Meyer
Marcelo Andreas Meyer
Freising, Alemanha

133
Meyer
Nilo Momm
São José/SC

134
Michels
Evair Heerdt Michels
Araranguá/SC

135
Mitttelmann
Charles Mittelmann
Blumenau/SC

136
Moeller
Nilo Momm
São José/SC

137
Moeller (Möller)
Douglas Moeller Diener
Curitiba/PR

138
Moellmann
Leatrice Moellmann Pagani
Florianópolis/SC

139
Momm
Nilo Momm
São José/SC

140
Moritz
Bruno Kadletz
Palhoça/SC

141
Müller
Carlos Henrique Müler
Angelina/SC

142
Müller
Mário Milton Müller
São José/SC

143
Müller
Max José Müller
Florianópolis/SC

144
Müller
André Luiz Mueller
Blumenau/SC

145
Müller
Kathleen Evelyn Muller
Curitiba/PR

146
Müller
Janir Brandt
Salete/SC

147
München
Anselmo Julio München Kraemer
Ituporanga/SC

148
Neckel
Artur Neckel e Sebastião Neckel
Lages/SC

149
Pagel
Silvia Galvão Pagel Scharf e Dário Pagel
Blumenau/SC Blumenau/SC

150
Parucker
Guilherme Augusto Heinemann Gassenferth
Joinville/SC

151
Pfiffer
Ademir Pfiffer
Jaraguá do Sul/SC

152
Pfützenreuter
Rudney Otto Pfützenreuter
Florianópolis/SC

153
Pilar
Cleusa Pilar
Balneário Comboriu/SC

154
Platten
Daura Soares de Souza
São José/SC

155
Plothow
Solange Plothow de Castro
Joinville/SC

156
Porndorfer
Edeli Kubin Sarda
Florianópolis/SC

157
Prüss
Flávio Pruess
Blumenau/SC

158
Pütz
Romeu Pitz
Florianópolis/SC

159
Quint
José Amaro Quint
São José/SC

160
Rambusch
Zélia Maria Nascimento Sell
Curitiba/PR

161
Raupp
Klaus da Silva Raupp
Florianópolis/SC

162
Rech


João José Viana e Rosa Lopes Coelho
São Vicente/SP Santos/SP

163
Reinehr
Altair Reinehr
Maravilha/SC

164
Reinert
Luiz Fernando Schroh
Curitiba/PR

165
Reinhold
Sidney Alexandre Reinhold
Timbó/SC

166
Reitz / Raitz
Nineia Raitz
Florianópolis/SC

167
Rengel
Avelino Rengel
Ituporanga/SC

168
Richartz
Adriano Machado
Jaraguá do Sul/SC

169
Risch
Valter Risch
Curitiba/PR

170
Rode
João Rode Gonçalves
Camboriú/SC

171
Roesler
Henrique Luiz Fendrich
Pinhais/PR

172
Roesler
Cido Érico Roesler
São Paulo/SP

173
Rudolph
Helena Mª Caminha Beduschi
Blumenau/SC

174
Salm
Jones Guilherme Neves Filho
Florianópolis/SC

175
Schambeck
Romulo Cézar Pizzolatti
Criciúma/SC

176
Scharf
Wandir Martins Scharf
Palhoça/SC

177
Scharf
Newton Scharf e Sílvia Galvão Pagel Scharf
Blumenau/SC

178
Schauren
Décio Aloisio Schauren
Porto Alegre/RS

179
Schindler
Flávio Prüss
Blumenau/SC

180
Schmitt
Daniel Silveira
São Pedro de Alcântara/SC

181
Schmitz
Anildo Schmitz
Anitápolis/SC

182
Schoenau
Oscar Ewald
Blumenau/SC

183
Schorr
João Roque Schorr Ledur
Cascavel/PR

184
Schreiner
Cristina Gláucia Schreiner da Mota
Campo Mourão/PR

185
Schroeder
Marcos Schroeder
Blumenau/SC

186
Schubert
Cristina Arzabe
Parnaíba-PI

187
Schuch
Edmara Schuch
Palhoça/SC

188
Schulz
Ellen Crista da Silva
Florianópolis/SC

189
Schumacher
Márcio Ricardo Staffen
Balneário Piçarras/SC

190
Schürmann
Valburga Huber
Rio de Janeiro/RJ

191
Schütz
Clarkson Sell
Palhoça/SC

192
Schwabe
Clarmi Regis e Maria Ester Menegasso
Florianópolis/SC

193
Schwambach
Murilo Westphal
Florianópolis/SC

194
Schwinden
Nilson Cesar Fraga
Curitiba/PR

195
Sehnem
Nilo Momm
São José/SC

196
Sell
Clarkson Sell
Palhoça/SC

197
Siebeneicher
Therezinha Leony Wolff
Porto União/SC

198
Simon
Sabrina Helena Planca
Gaspar/SC

199
Staffen
Márcio Ricardo Staffen
Balneário Piçarras/SC

200
Stahl
Margit Ehmke
Jaraguá do Sul/SC

201
Stanger
Edno Stanger
Curitiba/PR

202
Steffens
Nilo Momm
São José/SC

203
Steiner
Carlos Eduardo Steiner
Campinas/SP

204
Stüpp
Janir Brandt
Salete/SC

205
Thiesen
Celita Irene Campos Angeloni
Florianópolis/SC

206
Thomé
Nilson Thomé
Caçador/SC

207
Toni ou Tony
Soraya Brixi Tony de Souza
Brasília/DF

208
Tönjes
Claus Hinckel Tönjes
Blumenau/SC

209
Truppel
Jackson Duarte Carvalho
Palhoça/SC

210
Vogel
Geraldo Sérgio Vogel
Blumenau/SC

211
Voigt
Zilda Hatschbach
Florianópolis/SC

212
Volkweis
Pedro Luiz Volkweis
Chapecó/SC

213
Von Tönnemann
Nivaldo Klein
Joinville/SC

214
Wagner
Geraldo Sérgio Vogel
Blumenau/SC

215
Warm(e)ling
Adilson Roberto Warmling
Lages/SC

216
Warmling - Ramo Anton
Inocêncio Warmling
Brasília/DF

217
Weber
Glacy Weber Ruiz Cavallaro
Guarulhos/SP

218
Wedekin
Giancarlo Marques Zeni
Rio de Janeiro/ RJ

219
Weege
Ellen Annuseck Bona e Fred Ullrich
Jaraguá do Sul/SC

220
Westphal
Mitsi Westphal Taylor
Florianópolis/SC

221
Westrup
Elton Luiz Back
Forquilhinha/SC

222
Wetzel
Nilton Hamann
Brasilia/DF

223
Wiederkehr
Alessandra Helena Wiederkehr
Blumenau/SC

224
Wiggers
Wilson Wiggers
São José/SC

225
Wilbert
Romeu Pitz
Florianópolis/SC

226
Wissel
Luiz Henrique Wissel
Águas Mornas/SC

227
Wolf
Francisco José Saidl
Spring Grove, PA - EUA

228
Wurth
Cristina Gláucia Schreiner da Mota
Campo Mourão/PR

229
Zang
Mário Milton Müller
São José/SC

230
Zarpe
Rodolfo Francisco Zarpe
Porto Alegre/RS

231
Ziemke
Meda Armelinda Zimke
Marechal Cândido Rondon/PR

232
Zipperer
Henrique Luiz Fendrich
Pinhais/PR

233
Zoz
Marlise Frotscher Milbratz
Blumenau-SC

Salesianos no Mundo + sites - Sonho de Dom Bosco





==============================================================================
INSPETORIAS - INTERAMÉRICA

ANT - Antilhas
BOL - Bolívia
CAM - América Central
CAN - Canadá
COB - Colômbia Bogotá
COM - Colômbia Medellin
ECU - Equador
HAI - Haiti
MEG - México Norte
MEM - México Sul
PER - Peru
SUE - Estados Unidos Leste
SUO - Estados Unidos Oeste
VEN - Venezuela
INSPETORIAS - AMÉRICA CONE SUL

ABA - Argentina Buenos Aires
ABB - Argentina Bahia Blanca
ACO - Argentina Córdoba
ALP - Argentina La Plata
ARO - Argentina Rosário
BBH - Brasil Belo Horizonte
BCG - Brasil Campo Grande
BMA - Brasil Manaus
BPA - Brasil Porto Alegre
BRE - Brasil Recife
BSP - Brasil São Paulo
CIL - Chile
PAR - Paraguai
URU - Uruguai
======================================================================
INSPETORIAS - ÁSIA SUL

INB - Índia Bombay
INC - Índia Calcutta
IND - Índia Dimapur
ING - Índia Guwahati
INH - Índia Hyderabad
INK - Índia Bangalore
INM - Índia Madras
INN - Índia New Delhi
INT - Índia Tiruchy
INSPETORIAS - ÁSIA LESTE

AUL - Austrália
CIN - China
FIN - Filipinas Norte
FIS - Filipinas Sul
GIA - Japão
ITM - Indonésia-Timor
KOR - Coréia
THA - Tailândia
VIE - Vietnã

=====================================================================
INSPETORIAS - EUROPA NORTE

AUS - Áustria
BEN - Bélgica Norte
CEP - República Tcheca
CRO - Croácia
EST - Europa Leste
GBR - Grã Bretanha
GEK - Alemanha Norte
GEM - Alemanha Sul
IRL - Irlanda
OLA - Holanda
PLE - Polônia Leste
PLN - Polônia Norte
PLO - Polônia Oeste
PLS - Polônia Sul
SLK - Eslováquia
SLO - Eslovênia
UNG - Hungria
INSPETORIAS - EUROPA OESTE

BES - Bélgica Sul
FRA - França
POR - Portugal
SBA - Espanha Barcelona
SBI - Espanha Bilbao
SCO - Espanha Córdoba
SLE - Espanha León
SMA - Espanha Madri
SSE - Espanha Sevilha
SVA - Espanha Valência
INSPETORIAS - ITÁLIA - MÉDIO ORIENTE
IAD - Itália Adriática
ICP - Itália Circunscrição Piemonte
ILE - Itália Lombardo Emiliana
ILT - Itália Lígure Toscana
IME - Itália Meridional
INE - Itália Norte Leste
IRO - Itália Romana ISA - Itália Sardegna
ISI - Itália Sicilia MOR - Oriente Médio

===============================================================
«BRASIL»

AJS de Ponta Grossa - Pr

AMA - Associação Missionária Amanhecer

Araxa MG - Colégio Dom Bosco

Associacao Educacional Dom Bosco - Resende - RJ

Bagé - Colégio Nossa Senhora Auxiliadora

Belo Horizonte - Colégio Salesiano

Brasília - CISBRASIL (Conferência das Inspetorias)

Brasilia - Colégio Dom Bosco

Brasília - Santuário Dom Bosco

Campo Grande - Colégio Dom Bosco

Campo Grande - Colégio Dom Bosco

Campo Grande - Colégio e Centro Universitário

Centro de Convençoes Israel Piheiro - Brasilia

Centro Dom Bosco - Cachoeira do Campo/MG

Centro Educacional Roberto Porto

CESAM - Vitoria - ES

Colegio Dom Bosco - Brasilia

Colegio Dom Bosco - Manaus

Colegio Dom Bosco - Porto Velho

Colegio Dom Bosco - Rio do Sul

Colegio Salesiano - Aracatuba (SP)

Colegio Salesiano - Belo Horizonte

Colegio Salesiano - Itajai

Colegio Salesiano Dom Bosco - Americana

Colegio Salesiano Dom Bosco - Piracicaba

Colegio Salesiano Dom Lustosa

Colégio Salesiano Jardim Camburi

Colegio Salesiano Nossa Senhora da Vitoria - Espirito Santo

Colegio Salesiano Nossa Senhora do Carmo

Colegio Salesiano Sagrado Coraçao de Jesus - Recife

Colegio Salesiano Santa Rosa - Niteroi (RJ)

Colegio Salesiano Santa Teresinha - Sao Paulo

Colegio Salesiano Sao Jose - Natal - RN

Colegio Salesiano Sao Jose - Sorocaba

Colegio Salesianos São Joao Bosco - Juazeiro do Norte - CE

Colegio Sao Domingos Savio - Sao Paulo

Convivência Salesiana

Cuiaba - MT - Colégio Salesiano Santo Antônio

Cuiaba - MT - Colégio Salesiano São Gonçalo

Editora Salesiana - Sao Paulo

Escola Dom Bosco de Artes e Ofícios

Escola Salesiana Sao Jose - Campinas

Faculdade Salesiana de Vitoria

Festival Salesiano de Música Sacra

Goiania - Ateneu Salesiano Dom Bosco

Inspetoria Salesiana do Nordeste do Brasil - Recife

Inspetoria Salesiana Sao Pio X - Porto Alegre

Inspetoria Sao Joao Bosco (BH) - Belo Horizonte

Instituto Dom Bosco - Campos

Instituto Dom Bosco Bom Retiro - Sao Paulo

Instituto Nossa Senhora Auxiliadora - Cruzeiro

Instituto Santo Tomás de Aquino

Liceu Coraçao de Jesus - Sao Paulo

Liceu Salesiano - Campinas

Liceu Salesiano do Salvador - Bahia

Lins SP - Salesianos de Lins

Manaus - Colégio Dom Bosco

Manaus - Inspetoria Salesiana Missionária da Amazônia

Missao Salesiana de Mato Grosso - Universidade Catolica Dom Bosco - Campo Grande

Missao Salesiana Serviço de Noticias - Campo Grande

Museu Dom Bosco

Nucleo Bandeirante - DF - Escola Salesiana São Domingos sávio

Obra Social Dom Bosco - Itaquera - Sao Paulo

Paroquia Nossa Senhora Auxiliadora - Sao Paulo

Paroquia Santa Teresinha - Sao Paulo

Piracicaba - Faculdade Salesiana Dom Bosco

Porto Alegre - Associação dos Salesianos Cooperadores na Região Brasil

Porto Alegre - SITE DOS SSCC BRASIL

Recife - Inspetoria São Luiz Gonzaga

Recife - Padre João Carlos Ribeiro Rodrigues

Resende RJ - Instituto São José

Riachuelo - Instituto São Francisco de Sales Colégio Salesiano

RJ - Centro Juvenil Salesiano

RJ - Centro Salesiano do Menor

Rocha Mirando - Colégio Salesiano

Salesianos de Fortaleza - Piedade

Salesianos em Jardim Camburi - Espírito Santo

Salesianos Sao Carlos - Sao Carlos

Salesianos Sao Gaonçalo - Cuiaba

Salvador - Salesiano Dom Bosco

Uniao Pela Vida - Manaus

UNISAL Centro Universitario Salesiano de Sao Paulo - Sao Paulo

Universidade Catolica Dom Bosco UCDB - Campo Brande

UNIVERSIDADE CATOLICA, sob a direçao dos Salesianos - Brasilia

Universidade Salesiana - Campinas

Universo Salesiano - Sao Paulo

Vitoria - ES - Colégio Salesiano


============================================================================
131 Sites cadastrados. Envie também o seu. Clique acima em Incluir novo Site!
Somos 15.074 FMA e trabalhamos em 1549 comunidades
Estamos presentes em 89 países



DEUS COMO ESCOLHA DE VIDA
Chamadas pelo Pai a viver com maior plenitude a graça do Batismo
Empenhadas em seguir Cristo casto, pobre e obediente
Vivendo em comunidade
Totalmente disponíveis para um serviço de evangelização dos jovens


=====================================================================
Últimos 20 sites Cadastrados!

Paraguai - Paraguai - Inspectoría Salesiana Nuestra Señora de la Asunción - SDB

Suiça - Istituto Elvetico - Lugano - SDB

Republica Dominicana - Republica Dominicana, Colegio Salesiano Domingo Savio, Jarabacoa - SDB

Venezuela - Asociasion Damas Salesianas ADMA - SDB

Italia - Adma - Associazione Maria Ausiliatrice - SDB

Corea - Caritas - FMA

Japao - m-caritas - FMA

Italia - Congregazione Apostole della Sacra Famiglia - SDB

Italia - Testimoni del Risorto - SDB

Italia - Instituto Hijas de los Sagrados Corazones - FMA

Brasil - Belem - Instituto Dom Bosco - FMA

Brasil - Porto Alegre - Associação dos Salesianos Cooperadores na Região Brasil - SDB

Brasil - Colegio Salesiano Dom Lustosa - SDB

Paraguai - Centro Monsenor Bogarin - SDB

Argentina - Ceferino Namuncura - Beatificacion - SDB

Brasil - Colegio Salesianos São Joao Bosco - Juazeiro do Norte - CE - SDB

Portugal - Colégio Dom Bosco lm - inst. Mouzinho Namaacha antigos alunos - SDB

Chile - Animación Vocacional Consagrada - SDB

Portugal - Portugal - Filhas de Maria Auxiliadora - Província Portuguesa Nossa Senhora de Fátima - FMA

Italia - Web Blog di Suor Bernardina - FMA

Italia - Oratorio di Livorno Online - FMA

Padre DÁCIO BONA sdb - em Bagé - RS - e-mail



data23 de agosto de 2009 23:59
assuntoRe: boa noite...
enviado porgmail.com

ocultar detalhes 23:59 (0 minutos atrás) Responder


Olá Dácio Bona SDB:

Gostei de seu e-mail.

Afinal, tivemos sonhos conjuntos e convivemos no mesmo espacó por alguns anos.
Tenho sempre contacto com seu mano, o Décio e tamb;em me lembro constantemente de vocês no tempo do seminário de ASCURRA.

LEMBRO-ME QUE FOMOS NUM PASSEIO NA CASA DE SEUS PAIS EM RODEIO E ATÉ HOJE ME LEMBRO das instalações daquela área rural. Ficou marcante em minha mente a família Bona.

Nos 25 anos de sacerdócio do Décio, estive na Igreja, em Rodeio.

Mas vocês foram marcantes também em minha vida, pois o Décio até hoje, por motivos profissionais tem estado em contacto direto com ex-seminaristas desta nossa região.

Quando for fazer uma visita pelas paragens do RS, no sul, em Bagé, espero encontrá-lo por aí.

Não conheço por terra este rincões e irei para um passeio até o Uruguai, e então gostaria de encontrá-lo, pessoalmente, para dialogarmos sobre temas de nossas vidas.

Felicidades, amigo Dácio e que sejas muito feliz nesta vida sacerdotal-sdb.

www.laerciobeckhauser.com

2009/8/21 Colégio Auxiliadora
- Ocultar texto das mensagens anteriores -


Olá Grande LAERCIO BECKAUSER,

Que bom ver um email onde você aparece com email, site, blog, etc...
Lembro sempre de você e seu mano com quem convivi em Ascurra nos longínquos anos da década de 60.
Se vier nos visitar em Bagé, onde trabalho no Colégio N. Srª Auxiliadora, terá hospedagem e ficarei contente com sua visita.
Lembro de você com boas lembranças.
Abraços,
dácio bona - sdb


Desde O ano de 1904 os Salesianos de Dom Bosco marcam presença na Educação da Sociedade Bageense.


Neste ano, o P.Carlos Pereto, Inspetor Salesiano do Uruguai, enviou os Padres André Dell´Occa, Ezequiel fraga, Roberto Germano e João Illardia, para fundar em Bagé o Ginásio Nossa Senhora Auxiliadora.Inicialmente foi utilizado um prédio onde funcionava a Enfermaria Militar.
Desde esta época o Colégio vem funcionando, sem nunca ter sofrido alguma interrupção nas suas atividades educacionais. Hoje o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora possui um moderno complexo educacional, desde a Educação Infantil ao Ensino Médio, buscando sempre a inovação, pois como diz o seu lema aqui se faz "uma educação de futuro". O ano de 2003 é marcado pela abertura do Ano Centenário, comemora-se 99 anos de história. Noventa e nove anos de dedicação à Educação, uma educação voltada e fundamentada nos princípios Salesianos que estão firmados na Razão, na Religião e no Amor. Este tripé da Educação Salesiana chama-se Sistema Preventivo. Muitos são os ex-alunos que procuram na sua vida ser "bons cristãos e honestos cidadãos", seguindo os ensinamentos da Educação Salesiana que forma para a vida, ou seja, para enfrentar os desafios do mundo de hoje com vistas para o futuro. Atualmente o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora tem por Diretor o P. Dácio Elísio Bona e uma equipe de Educadores altamente qualificada para atender as necessidades atuais da educação. Junto ao Colégio funciona a Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora que tem como característica principal a difusão da devoção à Nossa Senhora Auxiliadora. O P. Sigmundo Fridolin Tarnovski é o atual Pároco. Mas a presença Salesiana em Bagé não está restrita ao Colégio e Paróquia Auxiliadora, na realidade são quatro frentes de trabalho atingindo ainda o Bairro Getúlio Vargas através da Paróquia São Pedro onde o Pároco é o P. Leo Kieling e o Vigário Paroquial o P. Vicente Stelmaszczyk; o Instituto São Pedro de Educação e Assitência (ISPEA), uma Obra Social que tem por Diretor o Ir. Aroldo Martins e Coordenador o Ir. Pedro de Melo. Os Salesianos de Dom Bosco, em Bagé, através das atividades Educativas e Evangelizadoras atingem todas as camadas da Sociedade Bageense.

O P. Sigmundo Fridolin Tarnovski é o atual Pároco. Mas a presença Salesiana em Bagé não está restrita ao Colégio e Paróquia Auxiliadora, na realidade são quatro frentes de trabalho atingindo ainda o Bairro Getúlio Vargas através da Paróquia São Pedro onde o Pároco é o P. Leo Kieling e o Vigário Paroquial o P. Vicente Stelmaszczyk; o Instituto São Pedro de Educação e Assitência (ISPEA), uma Obra Social que tem por Diretor o Ir. Aroldo Martins e Coordenador o Ir. Pedro de Melo. Os Salesianos de Dom Bosco, em Bagé, através das atividades Educativas e Evangelizadoras atingem todas as camadas da Sociedade Bageense.
Página Inicial
============================
Bagé – ISPEA – 04/07/2009 – Encontro Regional da AJS


A AJS de Rio Grande e Bagé reuniram-se no dia 04 de Julho no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora em Bagé, 80 jovens para o Encontro Regional da AJS. Estiveram presentes os jovens: do ISPEA, da Paróquia São Pedro, da Comunidade Laura Vicunã, do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora de Bagé e Liceu de Rio Grande.

Os jovens foram recepcionados com um belo café da manhã e com a entrega dos crachás pelos jovens, Anderson Borba do ISPEA e Barbara Ferreira do Colégio Auxiliadora. Os diretores salesianos das casas de Bagé deram suas mensagens aos jovens e também puderam contar com uma presença muito importante para os jovens: o nosso Assessor Estadual Padre Assis, onde também deixou sua mensagem.
O Encontro Regional teve como tema o Itinerário de Educação à Fé dos Jovens nº1. O estudo e a reflexão foram ministrados pela Coordenadora Estadual da AJS Ir Solange e os assessores da casas de Bagé. Os jovens foram divididos em 4 grupos de 20 jovens em cada, onde passaram pelas 4 oficinas : 1ª oficina: A vida: beleza, sentido, abertura, 2ª oficina: Corpo: Perdas e ganhos: experiência da razão e do afeto , 3ª oficina: Eu, nós os outros: convivência e aprendizado e 4ª oficina: Ética, cuidado e sonho = direitos humanos.
O almoço contou com um voluntário Marcos Flávio de Melo e onde os jovens o agradeceram com uma bela salva de palmas.
Na metade da tarde houve o momento cultural seguido pela Celebração de Envio, onde os jovens fortaleceram sua aliança com os princípios de Jesus Cristo demonstrados pelo simbolismo do anel de Tucum que foi aceito por cada jovem.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

História de Ascurra


História
A Chegada a Colonia


Os imigrantes tiroleses e italianos, ao chegarem em Itajaí, ficaram num alojamento construído pelo Dr. Blumenau, num terreno adquirido de Alves Ramos, na confluência do Itajaí-Mirim. Desse local e após o necessário descanso, movimentam-se rio acima por mais dois dias de viagem, em canoas e balsas, até Blumenau, de onde eram encaminhados aos lotes previamente escolhidos, ficando, no interim, alojados no "Barracão dos Imigrantes", construído para tal fim, na entrada da Rua das Palmeiras (atual Alameda Duque de Caxias - como abrigo provisório dos imigrantes recém-chegados), barracão este que foi demolido em agosto de 1905.
Esse barracão, que era denominado de "Casa de Recepção de Imigrantes", era de aparencia lastimável. Era comprido e estreito, dividído em muitos compartimentos construído de palmitos, coberto com folhas de palmeiras, paredes de pau a pique, com revestimento de barro e chão de terra batida.
Só em 1879 e que a comunicação da Colônia com Itajaí se deu através do primeiro vapor a rodas, o "Progresso", mais tarde, ou seja a 14 de outubro de 1894, substituido pelo vapor, "Blumenau".


Chegada em Ascurra

A ocupacao de seus lotes por parte dos imigrantes italianos se deu em 1876 - provavelmente nos principios desse ano. Chegaram eles a Ascurra vindos do "Barracao dos Imigrantes", em Blumenau, pela es-trada carrocavel existente ate Warnow e dai por uma picada ate Ascurra, pela margem direita do Rio Itajai Acu, cuja travessia para a margem esquerda foi feita em canoa da Direcao da Colonia, na desembocadura do Ribeirao Sao Pedrinho, lote n. 162, que viria a ser ocupada por Francesco Adami, cerca de um quilometro abaixo do local onde esteve localizada a balsa que, por longos anos, serviu de passagem, substitu-ida em 1960 pela atual ponte "Irineu Bornhausen" da BR-470, em Ascurra.
21Localizagdo do Municipio de Ascurra do Medio Vale do Itajai - Santa Catarina


A FUNDACAO DE ASCURRA

A entrega oficial dos primeiros dez lotes dessa linha colonial, entretanto, só se deu a 15 de novembro de 1876, com a assinatura e entrega, nessa data, dos respectivos contratos de venda, pelo próprio Dr. Blumenau.
Essa data - 15 de novembro, portanto, se constitui na data do ínicio da colonização e fundaçãoo da povoação de Ascurra, nao só por não existir qualquer documento oficial conhecido pelo qual se possa determinar outra data, mas especialmente por ter sido este o crit''''ério adotado pelo Dr. Blumenau, que entendia ser a data da fundação a da distribuiçãoo dos primeiros lotes e não a data da chegada dos imigrantes.
A Camâra Municipal de Ascurra, em sessão realizada no dia 09 de Janeiro de 1975, aprovou por unanimidade de votos de seus membros, a indicaçãoo do Vereador Alcides Buzzi, fixando o dia 15 de novembro de 1876 como data da fundação de Ascurra, louvando-se no critério adotado pelo Dr. Blumenau, que entendia ser a data da fundação, a data da distribuição dos primeiros lotes e não a da chegada dos imigrantes.


Ascurra - Origem desse nome

Ascurra leva esse nome por sugestão do próprio Dr. Blumenau desde 1875, quando da delimitação dos lotes marginais do Ribeirão São Paulo, em cuja foz determinara a demarcação de uma povoação, com 129 lotes urbanos, dando-lhe, entao, esse nome.
Assim o Dr. Blumenau sugeriu para assinalar a vitória decisiva das forcas brasileiras na Guerra do Paraguai, em 1869, ja em sua fase final, quando o ditador Solano Lopez foi completamente destrocado na localidade fortificada de Ascurra, no território paraguaio.
Trata-se de uma elevação escarpada e ingreme, situada nos primeiros contrafortes da Serra do Ibitirapé. No cimo desse monte, o ditador construira poderosa trincheira, ai concentrando quase a totalidade do seu exército e com a qual pensava oferecer resistência ao avanço aos exércitos aliados.
Entretanto, graças a estratégia do Conde d'Eu, então comandante-chefe do Exército brasileiro, foi Solano Lopez fragorosamente derrotado e dizimado o seu exército. Esse importante feito, como era natural, continuou tendo grande repercussão numa colônia que, para a vitória final, também havia colaborado.


Ribeirao Sao Paulo Origem desse nome

Em 1874, o Dr. Blumenau, prevendo a intensificação, no ano seguinte, da imigração em decorrência do contrato celebrado pelo Governo Imperial com Joaquim Caetano Pinto Junior, já nesse mesmo ano se antecipara mandando proceder a demarcação de extensas áreas da Colônia, para localização dos imigrantes tiroleses e italianos que o citado contratante viria a aliciar no Tirol e Norte da Italia.
Entre as áreas entao demarcadas, se achava as banhadas pelo Ribeirões "São Pedro", no atual territorio do Rodeio, e "São Paulo", no atual territorio de Ascurra.
Esses dois Ribeirões, ambos tributaries da margem esquerda do Rio Itajaí Açu, com desembocadura pouco se distanciando uma das outras, o Dr. Blumenau simbolizou-os com o nome desses dois notaveis Apóstolos, vindo, assim ao encontro da religiosidade dos imigrantes que iriam ocupar os lotes banhados por estes dois Ribeirões, além de coincidir a data do término dos trabalhos de medição com a testa desses dois Santos, concelebrada a 29 de junho.
O nome de "São Paulo", dado a linha colonial em Ascurra, deu ensejo a séries transtornos, pois muita correspondência procedente da Italia, não especificando a Colônia Blumenau, era retida em São Paulo, capital dessa província, para onde a essa época era grande a corrente imigratoria, também de procedência italiana.



O Município

Um pequeno município com 119 Km/2 de área, localizado no Vale Europeu de Santa Catarina, marcado pela colonização de imigrantes da Europa Ocidental, que resultou num povo alegre e cordial que se sente feliz em receber os amigos e visitantes en sua cidade. Um povo orgulhoso de sua felicidade, de seu jeito de viver, de suas tradições e de sua cidade. Comunicativo como todo povo amigo, realizador na forma de alcançar o progresso e feliz na simplicidade de ser brasileiro.
Fonte:
http://www.ascurra.sc.gov.br/municipio/historia

Ascurra - História e Características - Rainha da Festa Per Tutti

Rainha da Festa Per Tutti - Monica Francilli Debarba





Ascurra




História

A religião é um dos aspectos mais marcantes da História de Ascurra, que teve sua colonização iniciada em 1876 por imigrantes italianos, instalados às margens do Ribeirão São Paulo, por determinação de Hermann Blumenau. Uma das primeiras providências do pioneiro Giovanni Buzzi, o líder da povoação, foi construir a Capela Sagrada Família. O catolicismo fervoroso não impediu, porém, que os colonos italianos entrassem em confronto com franciscanos oriundos do Tirol. Os frades, vindos da região sob jurisdição da Áustria e inimiga histórica do reino italiano, assumiram a Capela Madona Adorata, de Rodeio, distante apenas 04km de Ascurra. A rivalidade levou a uma “guerra” de construções sacras: os franciscanos ergueram um templo dedicado a São Francisco de Assis, em Rodeio, enquanto os moradores de Ascurra construíram uma capela dedicada a Santo Antônio. A animosidade foi apaziguada somente em 1916, com a mediação dos padres salesianos, que se instalaram ali.


Características

O fervor religioso, motivo de rivalidade na época da colonização, ainda é hoje a principal característica do município.

Data de fundação - 1° de abril de 1963.
Data festiva - Junho (Festa de São João) e agosto (Festa do Município).
Principais atividades econômicas - Agricultura.
População - 6.934 habitantes.
Colonização - Italiana.
Principais etnias - Italiana.
Localização - Médio Vale do Itajaí, na microrregião de Blumenau, a 177km de Florianópolis.
Área - 119km2.
Clima - Mesotérmico úmido, com verão quente e temperatura média de 19,7°C.
Altitude - 83m acima do nível do mar.
Cidades próximas - Rodeio, Ibirama, Indaial, Benedito
Novo, Timbó, Blumenau.

PROFESSORES no Colégio São Paulo de ASCURRA - SC - 2009



Ascurra


Ascurra - Colégio São Paulo
Santo Ambrósio (1917) 28/05/1926
Diocese de Rio do Sul


Atividades
- Educação Infantil
- Ensino Fundamental e Médio
- Paróquia
- Centro Juvenil
- Cooperadores
- Ex-alunos
- Atividades agropecuárias






COMUNIDADE SALESIANA



P Álvaro Norile - Diretor
alvaro@dombosco.net

P Andréas Tonon - Vice-Diretor e Ecônomo

L Orival Celestino Balestieri

P Oswaldo Tironi - Vigário Paroquial

P Paulo Crispino Marconcini - Pároco e Cooperadores

P Vitório Bona - Vigário Paroquial





PROFESSORES no Colégio São Paulo de ASCURRA - SC - 2009:






Ângela Notari - Professora do Projeto “Dom Bosco Educa”





Bárbara Cristofolini - Professora de Artes e Canto





Célio A. Sadagna - Professor de Língua Portuguesa





Cristian Tesser - Coordenador do Ensino Fundamental e Ensino Médio





Cristiane Danna - Professora de Inglês





Denílsom Fruet - Professor de Matemática





Dirléia Bonacolsi Possamai - Professora do 1º ano do E. F. I





Dóris Mesadri Maas - Professora do 4º ano do E.F. I





Elisabeth Farias - Professora de Espanhol





Fernando Tomaselli - Professor de Filosofia e História





Geraldino Ochner - Professor de Língua Portuguesa





Gisele Pacheco da Silva - Professora de História





Joana Cechet - Professora de Artes





Juraci Chiarelli - Professora de Ensino Religioso





Kátia Girardi - Professora de Ciência e Biologia





Leda Adami Geske - Professora do Infantil





Márcia Mandel Testoni - Professora do 3º ano do E. F. I





Maria Elena Tomio - Professora do Infantil





Maria Helenita Silva - Professora de Química





Mickael Bachmann - Professor de Geografia





Nielsi Fachini - Professor de Educação Física





Nilza Sari Facco Christoff - Professora do 2º ano do E. F. I





Ovídio Oliveira Pogliesi - Professor de Inglês





Pe. Álvaro Noriler – Diretor





Pe. Andréas Tonon – Vice-diretor e Ecônomo





Paolo Moser - Professor de Música





Rafael Rozza - Professor de Matemática e Física





Rose Mary Agostini - Professora do 4º ano do E. F. I





Teresa Notari Berri - Coordenadora Ensino Fundamental I








FUNCIONÁRIOS:


Dário Sandro Ossemer


Eva Monteiro


Jacir Prade


Juliana Pintarelli


Kelle Girardi


Luana Linda Moser


Oscar de Oliveira


Osmir Chiminelli


Stefano Carlo Fiamoncini


Vanessa Munique Fava


Vera Lúcia de Oliveira


Agosto *** Rua Benjamin Constant nº 230 - Centro - Ascurra - SC - Brasil - Fone/Fax.: (0xx47) 3383-0237 ***