segunda-feira, 19 de abril de 2010

O jovem rico e velho sábio... Conselhos.



O jovem rico e velho sábio...

Numa pequena aldeia um sábio dava conselhos assertivos e gratuitos.
Só havia uma cobrança.
Após três anos, a pessoa deveria voltar até a aldeia, na casa do sábio e dar para ele uma prova real que o seu conselho foi útil, verdadeiro e real.
O sábio conselheiro exigia somente uma prova real do ensinamento que tinha dado ao aconselhado.  Poderia ser um objeto ou algo que realmente comprovasse a utilidade das palavras ditas anteriormente, na primeira visita.
O sábio tinha por hábito não dar, a ninguém um segundo conselho.
Certa ocasião, numa manhã chuvosa, se aproximou da casa do sábio um jovem que tinha completado 18 anos no dia anterior de sua visita.
Temeroso, o jovem  quase desistiu de falar ao avistar o sábio, sentado numa cadeira de madeira, na varanda de sua casa, próximo ao jardim repleto de flores.
Era a primavera e muitas borboletas procuravam o néctar das flores num movimento intenso nas diversas flores do imenso jardim da casa do sábio.
O sábio, já idoso notou a timidez do jovem e perguntou:
Quais seriam os teus desejos, meu caro jovem?

Ele pausadamente respondeu:
Meus pais sofreram um acidente, sou filho único e herdei uma considerável fortuna.
Gostaria que o senhor, em sua sabedoria me desse uma precisa orientacão sobre quais as três coisas que eu mais devo fazer em minha vida, pois sou novo e gostaria de viver em plena felicidade,  sem muitas preocupações e penúrias físicas e emocionais.

-Caro Jovem, falou com firmeza o sábio, busque a partir deste momento o AMOR, A ALEGRIA E A ESPERANÇA.
- Mas onde irei buscar estas três coisas, em que lugar elas se encontram?
- Volte para sua casa, administre os seus bens e após três anos, volte ate aqui e traga uma prova real que voce seguiu estes ensinamentos.
Se você seguir estes ensinamentos, será feliz para sempre.
O jovem, se despediu e mansamente saiu da aldeia e voltou para administrar todos  os  bens que tinha direito em sua rica
herança.
Apos três anos,  volta até a aldeia, com barba,  acompanhado de  três mulheres e vai falar com o sábio no mesmo local do primeiro encontro.
Olhando firmemente para o sábio ele falou sem hesitar:
O senhor me pediu para trazer uma prova real dos ensinamentos que me orientou e elas estão aqui me acompanhando, pois  estas três pessoas  se chamam Amor, Alegria e Esperança.

Esta primeira é a minha avó, é um AMOR de pessoa e faz o papel de minha mãe  falecida, e  me dá  todos seus carinhos e conselhos.
Esta segunda é a Alegria da minha vida,  é minha madrinha de batismo,  foi professora primária , me ensinou a ler e escrever e é  minha  amiga da minha falecida mãe e da minha avó.
A terceira é a ESPERANÇA, minha jovem noiva  e companheira de minha futura vida conjugal e quero convidá-lo para meu casamento que será realizado no mês que vem.
O velho sábio  sorriu e foi testemunha do casamento deste jovem e precoce sábio.


By
www.laerciobeckhauser.com
Postado por BLOGACIAA 
Beckhauser
Publicado no Recanto das Letras em 20/04/2010
Código do texto: T2207580

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.laerciobeckhauser.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Um comentário:

Beckhauser disse...

AMOR, A ALEGRIA E A ESPERANÇA, SEMPRE EM NOSSAS VIDAS...